zona de empresas registar empresa

◀ voltar atrás

agricultura

Moratória para a soja plantada em áreas de desflorestação
| Por Pedro Vacas


A indústria da soja renovou esta Terça-feira, dia 28, o compromisso de não comprar o grão produzido em áreas da Amazónia desflorestada após Julho de 2006, com o Ministério do Meio Ambiente e outras entidades ambientalistas. Este acordo, denominado Moratória da Soja, é válido até Julho de 2010.

Com a Moratória, a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) e a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) comprometeram-se a não comprar soja produzida nas áreas de floresta derrubadas após a assinatura do acordo.

Em 2007/2008, de acordo com a Agência Brasil, foram detectados 12 casos de plantação de soja em áreas de nova desflorestação, incumprindo-se a Moratória.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) revelam que o número de desflorestação de grandes áreas diminuiu, ante o avanço de pequenas desflorestações. A Moratória que, até agora, controlava áreas com mais de 100 hectares vai passar a analisar também as áreas de menor extensão.

A partir de informações do Inpe, que passou a fornecer imagens mais detalhadas, o grupo de trabalho da Moratória vai fazer visitas de campo, considerando a fotografia dos satélites sobre o que está a ser cultivado nas áreas desflorestadas.

Desta forma, com os avanços tecnológicos, torna-se fácil controlar a plantação de soja, sem necessidade de deslocação. Verificando-se esta necessidade apenas quando a plantação se verificar efectivamente, o que é facilmente controlável via satélite.

Nos termos do compromisso assinado, a Abiove e a Anec comprometem-se a “sensibilizar os sojicultores a atenderem ao disposto no Código Florestal e a realizarem o cadastramento e licenciamento ambiental das propriedades rurais”. Em contrapartida, o governo deve apoiar a regularização ambiental nos municípios produtores de soja e tentar tirar do papel a Zona Económica-Ecológica (ZEE) da Amazónia Legal.

A Moratória poderá ser levada para a reunião da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre mudanças climáticas, em Dezembro, em Copenhaga. A ideia é mostrar aos países desenvolvidos que o acordo contribuiu para a redução da desflorestação da Amazónia e, por outro lado, tentar angariar apoio financeiro internacional para os produtores de soja que plantam sem desflorestar novas áreas.

fonte: pelanatureza.pt


Se gostou deste post acompanhe-nos no Facebook e comente!

Gostou do que leu? Deixe seu comentário.

Anti-spam

Por favor, transcreva o seguinte código no espaço a seguir:

Captxa

◀ voltar atrás

Eco Info
Directório
Newsletter
Contacte-nos

errrr

   

Sponsors | Parceiros Pela Natureza

 
Sponsors Pela Natureza
Parceiros Pela Natureza