zona de empresas registar empresa

◀ voltar atrás

formação

Alunos no Reino Unido instalam câmaras no lixo
| Por Pedro Vacas


Os estudantes da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, desenvolveram um projeto que controla o que é deitado nos caixotes do lixo do país. Uma câmara fotografa e coloca numa página do Facebook as ações da população.

A câmara é instalada no interior das tampas dos lixos e são equipadas com sensores para que tire uma fotografia todas as vezes que a tampa é fechada. As fotografia são colocadas no Facebook para que os alunos, que participam na experiência, possam ver o que os seus vizinhos jogam fora.

A intenção é que o projeto, denominado BinCam, consciencialize a população de como é importante a recolha seletiva e reciclagem. Assim, aqueles que não costumam se importar com o meio ambiente podem ver a situação por outro ângulo e quem sabe mudar os seus hábitos.

Cinco famílias britânicas já concordaram em aplicar o sistema nas suas casas. Outras três universidades da Grã-Bretanha e Alemanha vão aderir ao projeto e também instalarão câmaras nos seus alojamentos.

Mesmo assim há quem não tenha gostado muito da ideia. Segundo o jornal Daily Mail, um dos membros do comitê da Campanha de Recolha de Resíduos Semanais, Doretta Cocks, disse que a invasão de privacidade é um desrespeito aos participantes. “O fato de vasculhar a vida alheia está a ir longe demais”, disse.

Alguns acreditam que esta situação expõe as pessoas ao ridículo. Afinal, incentivar a reciclagem é bom, mas é preciso cuidado para que a publicação das fotos não ultrapasse os limites éticos.

O aluno responsável pelo projeto, Anja Thieme defende a sua ação e diz que o lixo não é motivo de vergonha para ninguém. Para ele, este projeto é uma maneira educativa e divertida de mostrar como este problema traz prejuízos ao meio ambiente. “Não acredito que seja humilhante mostrar o que está na minha lata de lixo. Além disso, o problema do lixo parece ter fim quando você fecha a tampa do caixote do lixo. Mas não é bem assim. Resíduos têm um enorme impacto ambiental”, explica.

Fonte: Ciclo Vivo

Se gostou desta notícia acompanhe-nos no facebook.


Publicidade

buyonfuture.com


Se gostou deste post acompanhe-nos no Facebook e comente!

Gostou do que leu? Deixe seu comentário.

Anti-spam

Por favor, transcreva o seguinte código no espaço a seguir:

Captxa

◀ voltar atrás

Eco Info
Directório
Newsletter
Contacte-nos

errrr

   

Sponsors | Parceiros Pela Natureza

 
Sponsors Pela Natureza
Parceiros Pela Natureza