zona de empresas registar empresa

◀ voltar atrás

ordenamento do território

Cidade a hidrogénio está a surgir no mar do Báltico
| Por Pedro Vacas


A pequena ilha dinamarquesa Lolland, localizada no mar Báltico, quer usar o hidrogénio para armazenar a energia do vento em excesso, tornando-se na primeira cidade a hidrogénio. Actualmente a cidade produz mais 50 por cento da energia eólica que necessita para consumo interno.

O projecto Lolland Community Hydrogen pretende estabelecer Lolland como um líder europeu na tecnologia do hidrogénio. O calor combinado e a micro produção de energia (μCHP) será baseada em energia eólica, electrolisadores para a produção de hidrogénio e utilização em células de combustível (PEM).

Lolland espera converter toda a ilha ao hidrogénio através de um processo de três fases, duas das quais já começaram. A primeira fase foi concluída em 2006 após a criação do residencial Fuel Cell μCHP, em Nakskvov. O excesso da energia eólica faz trabalhar o electrolisador, que separa as moléculas de hidrogénio e oxigênio, que são armazenados em unidades de armazenamento de baixa pressão para controlar o fornecimento de hidrogénio às células de combustível, e a falta oxigénio para estações de água de limpeza.

A maioria da energia fornecida por estas células de energia são utilizados principalmente para o funcionamento da unidade de águas residuais, embora alguma também seja usada para produzir electricidade e calor para aquecer os edifícios na área, semelhante a uma infra-estrutura convencional em grande escala. Outros passos desta etapa foram de-mistificar a energia do hidrogénio para os consumidores e criar novas sinergias e simbioses com energia e instalações ambientais existentes.

A segunda fase do projecto foi concluído em 2008 na cidade de Vestenskov, que não só ligou os edifícios com a unidade de hidrogénio, mas também envolveu a colocação descentralizada de células de combustível em cada cinco casas.

Cada unidade contém uma célula de combustível 2 quilowatts e um conversor de corrente alternada, que viria substituir as caldeiras existentes. Estas células acabaram por ser mais eficientes e ter a segurança de energia mais elevada do que as caldeiras convencionais. Esta fase permitiu às autoridades testar a segurança e a estabilidade operacional destas unidades.

A fase final do programa será executado a partir de 2010-2012 e envolverá a instalação destas células em mais 35 a 40 famílias, que irá fornecer o calor e a electricidade. A conversão de transformar o hidrogénio em energia é feita através de um processo electroquímico que tem uma produção de electricidade de 50 por cento e eficiência combinada de utilização simultânea de 90 por cento.

Actualmente, as casas em Vestenskov são alimentados por petróleo e gás natural. Uma vez que o hidrogénio é criado através do vento em excesso, o poder é de 100 por cento de carbono neutro.

Cidade a hidrogénio está a surgir no mar do Báltico

Fonte: h2portugal


Publicidade


Se gostou deste post acompanhe-nos no Facebook e comente!

Gostou do que leu? Deixe seu comentário.

Anti-spam

Por favor, transcreva o seguinte código no espaço a seguir:

Captxa

Comentários

Nome:
Ricardo Asseiceiro
Comentário:
Parabéns para todas as pessoas que desenvolvem e implementam e adoptam a tecnologia do hidrogénio. O local onde vivemos é precioso de mais para ser degradado pelos combustíveis fosseis e demais poluentes, que poderiam ser evitados.
14/03/2012 - 00:56:21

◀ voltar atrás

Eco Info
Directório
Newsletter
Contacte-nos

errrr

   

Sponsors | Parceiros Pela Natureza

 
Sponsors Pela Natureza
Parceiros Pela Natureza