zona de empresas registar empresa

◀ voltar atrás

resíduos

Lixo eletrónico do mundo desenvolvido
| Por Pedro Vacas


Lixo eletrónico produzido no mundo até o final do ano vai chegar à China e a outros 20 países em desenvolvimento. Isso significa que o telemóvel e o computador pessoal que os americanos jogam fora são "exportados" em forma de e-lixo.

Até o final de 2011, o mundo vai produzir 50 milhões de toneladas de lixo eletrónico. Apesar do volume, ninguém sabe o que fazer com computadores, TVs e telemóveis usados. Uma pequena parcela é reciclada por empresas interessadas em explorar metais usados na fabricação de componentes. A maior parte, no entanto, não recebe nenhum tipo de tratamento. O e-lixo gerado em países ricos é incinerado, despejado em aterros sanitários ou exportado ilegalmente para lugares como China, Índia e Brasil. Nas páginas seguintes, INFO mostra o caminho percorrido pelo lixo eletrónico gerado em seis países e o que é preciso fazer para não contaminar o meio ambiente.

O CAMINHO DO E-LIXO - Veja infográfico

Corrida ao Ouro

O que há de metais preciosos nos aparelhos electrónicos (segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente):

Notebook

- 500 g de cobre
- 1 g de prata
- 220 mg de ouro
- 80 mg de paládio

Telemóvel

- 9 g de cobre
- 250 mg de prata
- 24 mg de ouro
- 9 mg de paládio

Segunda Vida

Japão e europa são as regiões que mais reciclam o lixo eletrónico no mundo (segundo GBI Research):

- 84% - Japão
- 40% - Europa
- 14% - Estados Unidos
- 10% - Austrália
- 7,6% - Canadá
- 6% - China
- 4% - Índia

- 50 milhões de toneladas é a quantidade de lixo eletrónico gerada no mundo ao ano. Só na União Europeia são cerca de 9 milhões de toneladas (segundo UNEP).

- 21 biliões de dólares é o potencial de receita do mercado global de recuperação do lixo eletrónico até 2020, segundo a consultoria GBI Research.

- 80% do lixo eletrónico enviado para reciclagem nos Estados Unidos é exportado (segundo Basel Action Network)

- 14% das 3,1 milhões de toneladas de lixo eletrónico produzido nos Estados Unidos em 2008 foram para reciclagem. As outras 86% acabaram em aterros sanitários, foram incineradas ou exportadas para outros países (segundo Environmental Protection Agency).

Fonte: Planeta Sustentável


Publicidade

buyonfuture.com


Se gostou deste post acompanhe-nos no Facebook e comente!

Gostou do que leu? Deixe seu comentário.

Anti-spam

Por favor, transcreva o seguinte código no espaço a seguir:

Captxa

Comentários

Nome:
ROSSI
Comentário:
POR QUE NAO SE USA A TECNOLOGIA DO PLASMA PARA INCENERAÇÃO DESTES RESÍDUOS?
ESTA TECNOLOGIA TRANSFORMA GRANDES VOLUMES EM CUBÍCULOS TÃO PEQUENOS, QUE SÃO MAIS RESISTENTES QUE O GRANITO UTILIZADO NA CONSTRUÇÃO CIVIL..
O GRAU DE COMPACTAÇÃO É APROXIMADO A 0,1 % DO VOLUME INCINERADO.
SDS
ROSSI
09/06/2011 - 11:58:51
Nome:
Pedro Gisley de Almeida
Comentário:
Precisamos de tecnologia, mas não precisamos ser escravos da mesma, usemos os recursos com sabedoria e inteligência.
06/05/2011 - 20:07:57

◀ voltar atrás

Eco Info
Directório
Newsletter
Contacte-nos

errrr

   

Sponsors | Parceiros Pela Natureza

 
Sponsors Pela Natureza
Parceiros Pela Natureza