zona de empresas registar empresa

◀ voltar atrás

turismo e lazer

Surfistas pela sustentabilidade
| Por Pedro Vacas


Os surfistas estão a empenhar-se para serem coerentes com as suas práticas. As pranchas têm um processo de produção altamente poluente, provocando mais quilos de resíduos do que o seu próprio peso, constituindo esta criação um problema para o meio ambiente. De forma a tentar reduzir os impactos negativos do surf na natureza, o Programa Surfe Sustentável tem uma nova actividade: a Aliança dos Surfistas pelo Meio Ambiente e Sustentabilidade.

A iniciativa faz parte do Programa Surfe Sustentável, da Ecosurfi, Entidade Ecológica dos Surfistas, e foi concretizada por meio da parceria com a AUS -Associação Ubatuba de Surf e a Prefeitura Municipal de Ubatuba, situada no estado de São Paulo, no Brasil, através da Secretaria do Meio Ambiente.

Ao longo do ano, serão realizados seminários de consciencialização, no estado de São Paulo, que prevêem mesas de conversa, oficinas lúdicas, palestras e vídeos, seguidos de uma dinâmica, tendo em vista a percepção dos surfistas a respeito do surf e da própria interacção que os mesmos têm com o meio ambiente. A partir do conhecimento e das perspectivas dos participantes, serão recolhidas propostas que, futuramente, serão dispostas num documento, a Carta de Responsabilidades dos Surfistas para Sociedades Sustentáveis.

A proposta-base terá alguns eixos nucleares:
- Aquecimento global;
- O papel do surfista;
- Surf e gestão costeira;
- Cultura do surf e consumo crítico;
- Surf e juventude pelo meio ambiente.

Um dos encontros já aconteceu em Ubatuba, em Junho, e contou com a presença de campeões de surf, ONGs, representantes da Prefeitura e fabricantes de pranchas, entre outros sectores ligados à questão. Aliar esses diversos segmentos é o principal objectivo da Aliança. Os próximos seminários serão realizados em Santos, no próximo mês, e na cidade de São Paulo, em Setembro.

Para João Malavolta, dirigente da Ecosurfi, uma das motivações da Carta será levá-la para as escolas de surf para que sirva como referência de práticas sustentáveis aos iniciantes. “Nossa maior preocupação é com a consciencialização. Com as informações certas, o surfista pode fazer escolhas mais conscientes”.

Uma delas deveria ser as pranchas, cujo processo de produção gera excesso de resíduos despejados no lixo comum. Lançar um selo verde que certifique os fabricantes de pranchas, de acordo com as normas da CETESB, Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental, ligada à Secretaria de Estado do Meio Ambiente, poderá ser uma boa ideia, atendendo a esta problemática.

fonte: Planeta Sustentável


Se gostou deste post acompanhe-nos no Facebook e comente!

Gostou do que leu? Deixe seu comentário.

Anti-spam

Por favor, transcreva o seguinte código no espaço a seguir:

Captxa

◀ voltar atrás

Eco Info
Directório
Newsletter
Contacte-nos

errrr

   

Sponsors | Parceiros Pela Natureza

 
Sponsors Pela Natureza
Parceiros Pela Natureza